Shop Mobile More Submit  Join Login
About Other / Professional Lucas MadiMale/Brazil Recent Activity
Deviant for 7 Years
Needs Core Membership
Statistics 52 Deviations 1,572 Comments 12,848 Pageviews
×

Newest Deviations

Literature
A Agua ferve
Quando eu estava no colégio
Acordava todo dia as 5 horas da manhã
Botava a agua para esquentar
Pegava o coador, o filtro e o café,
Colocava a toalha
Pão, margarina, mel
Prato, faca, garfo
Xícara, colher e açúcar
E a água ferve
Agora, quando faço café
Boto agua para esquentar
Pego a xícara, o pó e o açúcar
E a água ferve
Para onde foi o tempo?
Fazia tanta coisa
Agora só faço um café
O que houve? O que mudou?
Alguem me roubou.
Alguem me prendeu.
Alguém me tirou.
O que se perdeu?
Não sei
Mas eu sei que
Entre lá e agora
O café ainda é bom
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 5 3
Literature
Lua
TROVADOR:
Lua
No céu flutua
Seu mausoléu
Com o teu véu
Beleza espelha
É uma centelha
Com um emblema
E um dilema
Lua
Ternura tua
Resiste ao vento
Luta ao relento
Reluz no lago
Teu olhar vago
Já diz-me tudo
Profundo e mudo
Lua brilhante
Lua reluzente
Luar cortante
Luar ascendente
Lua cegante
Lua simplesmente
Seja lua para sempre
RESPOSTA DA LUA:
Meu bem amado
meu dom amante
sigo ao teu lado
a todo instante
Descompassado
desconfortante
é o teu passado
tão dissonante
Oh! Coração solitário
Vive em eterno uivar
Não vê que enxerga ao contrário
enquanto estou a brilhar?
TROVADOR:
Lua
Singela e crua
Já percebi
Me viro a ti
No firmamento
Inútil eu tento
Dizer "te amo"
Á ti declamo
Lua
A pele nua
A musa branca
Alerta e franca
Me deixa louco
De pouco em pouco
Pela beleza
Com a tristeza
Lua distante
Lua imponente
Luar amante
Luar transcendente
Lua radiante
Lua simplesmente
Seja lua para sempre
LUA:
Estou acima
Estou ava
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 3 12
Literature
Haicai da Solidao
Sinto muito frio
Só preciso de um casaco
Posso usar seus braços?
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 5 5
Literature
Garoa
Garoa que voa
Nas roucas cordas do meu violão
Escoa e destoa
Lave essas pedras que firmam o chão
Garoa tão boa
Que pelas gotas se faz a canção
Que soa e entoa
Velhos acordes que dão solidão
Sombras na luz a brilhar,
Tão belas as gotas são,
Que ao pelo poste passar,
Rápidas caem em vão.
Seguem o céu a chorar,
Descem com a escuridão,
Perdem-se neste voar
Para chegarem ao chão.
Garoa que voa
Nas roucas cordas do meu violão
Escoa e destoa
Lave essas pedras que firmam o chão
Garoa tão boa
Que pelas gotas se faz a canção
Que soa e entoa
Velhos acordes que dão solidão
Gotas que estão a molhar,
Não saberei se elas dão,
Em seu singelo pintar,
Cores ao meu violão
Só posso me perguntar:
São essas gotas ou não
Que neste eterno chegar
Molham o meu coração?
Garoa que voa
Nas roucas cordas do meu violão
Escoa e destoa
Lave essas pedras que firmam o
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 4 7
Literature
Versos Solitarios
I
Eu vou correndo a luz da lua cheia
E nisso o vento traz a sua voz
Enquanto o rio deságua tão atroz
Em minha face, o rio em cheia anseia.
O sino soa á meia noite e meia
Em si se perde as águas lá na foz.
E assim se encontra o coração a sós
Que pelas veias sangue não bombeia.
II
Em seu lamento espero julgamento:
Por quanto tempo terei de aguentar?
E quantos anos terão de passar?
Eu inocento o tempo e jogo ao vento.
E nessa angústia estendida ao relento
Os dias vão como quem quer ficar
Na solidão que está no caminhar
Das boas notas no andamento lento.
III
Ser um ser só sendo só sem sentido
É ser escasso, simplório e distante,
Visto que somos somente no instante
Que suplicamos o tempo perdido.
Se em solidão você fica escondido
Não saberá o que é que te espera avante,
Quero coragem e seguir adiante
Para saber a que venho vivido.
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 5 6
Literature
Soneto Incerto
Eu sinto muito medo do futuro
E temo descobrirem meu passado.
Um que me condena, outro que é inseguro,
Mas qual será o que está de cada lado?
Um passado mergulhado no escuro,
Um futuro em lágrimas afogado,
Como pesa essa carga que eu aturo!
O que o destino tem de reservado?
Nada! Não existe fatal destino
Que te segue até que toquem seu sino!
Não existe azar e tampouco sorte.
Do futuro nada se sabe ao certo,
O passado não é visto de perto,
Então só se tem certeza da morte.
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 9 18
Literature
Haicai da Saudade
Se eu sinto saudades?
Isso é para gente fraca,
Tão fraca quanto eu.
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 12 16
Literature
Clara
Clara
Dispara teus olhos tão raros assim
Não vê que eu me escondo por baixo de mim?
Espero enfim
Que vejas que vim
Clara
Queria saber onde firma teu chão
Aonde tu guardas o teu coração
Para que eu então
Me torne ladrão
Sou aquele imprevisível
Que olha o teu lindo sorriso
Da distância do invisível
Te dizer se faz preciso
Eu procuro o teu segredo
O arco e a flecha que me acerta
De falar não tenho medo
O desejo me desperta
Clara
Declaro ser teu este canto de mar
Nos teus olhos claros as ondas vão dar
E vão se quebrar
No brilho do olhar
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 5 24
Literature
Persigo-me
Não se surpreenda com o que eu penso
Só se seu segredo é o silêncio
E se o seu ouvido é um perigo
Então o seu abrigo está perdido
Não me encontrara com seus encantos
Em cantos que o seu olhar se mete
Nesses olhos, eles brilham tanto
Quanto césio cento e trinta e sete
Sua face que fascina fácil
Minha sina, minha assinatura
Que da cabo a cura
Vai acabar em epitáfio
Minha casca de cascalho gasto
Os teus textos, a tua textura
Que traz a loucura
Para queimar todo meu maço
Não se espante com meus sentimentos
Segrego meus segredos na sarjeta
São brinquedos feito espoleta
Que detonam dentes e lamentos
Soa uma fala de desprezo
Preza sempre a pressa e a espera
Mas destrói tudo o que mais prezo
Como houve em porto primavera
Sua face que fascina fácil
Minha sina, minha assinatura
Que da cabo a cura
Vai acabar em epitáfio
Minha casca de cascalho gasto
Os teus textos, a tua textura
Que traz a loucura
Para queimar to
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 14 28
Literature
Seu nome
Eles insistem que você se chama oceano
Mas eu prefiro te chamar de mar
Sempre te chamei assim
Porque mudar?
Eu te chamo de mar para colher teus frutos
No seu imenso pomar
Vejo-te como mar, pois conheço suas dores
Eu pesco seus martírios
Se te chamo de mar é o porquê te amo
Pois o verbo é amar
E o verbo vem desde o início da vida
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 14 12
Literature
Ceu no mar - Mar no ceu
Que insistência a sua de dançar
Se acalme como seu irmão gêmeo
Que fica acima de você
Reflita sobre seus erros na beira da praia
Quebre-se nas areias que te esperam ansiosas
Se encontre com seu irmão no horizonte
Para que possam conversar e refletir
Reflitam-se
Espelhem-se
Azulem-se
Mas nunca deixem de ser quem vocês são
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 7 7
Literature
Das Dores Pescadas
Água nos pés
Ondas do oceano
Esse corpo plano
Horizonte que se perde na imensidão
Sou apaixonado por ti, em ti nasci em ti morrerei!
Passei minha vida a desbravar os teus mistérios
Pescador, desde que nos conheci
Você é a minha rotina e minha fuga dela
Sempre que te olho te vejo mudado
Sempre que você muda, fica mais cativante
Quando me cativa eu olho para ti
Conhecer-te não faz sentido
Você não foi feito para ser conhecido
E eu não fui feito para te conhecer
Por isso me surpreendo
E das certezas que tenho sobre ti
Não tenho certeza de nenhuma
Navegar-te não é mais uma ação e sim um fato
É meu vício, minha sina nos seus prantos
Pesco seus frutos, pesco seus martírios
Por isso sou o pescador
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 10 17
Literature
Descrenca na Imprensa e resto
Cansei de ler lixo, ouvir merda e ver nada
Eu quero que me informem
E não que me distraiam
Sou contra a distorção das imagens
E sou contra a censura
Não quero que me digam opiniões alheias
Pois não quero que me formem
Quero que me mostrem o mundo, suas imperfeições e suas incertezas
Ninguém devia colocar a própria crença nas informações
Eu duvido sempre
Duvidando chego a algo palpável
E é duvidando que me perco para encontrar algo real
A vida não é feita de verdades
Ela seria muito chata se fosse
Viveriamos tristes se soubessemos de tudo
Saberiamos as respostas das incertezas das relações
E não poderiamos mudar, só saber.
Não existe graça nisso.
Se você tem fé e realmente acha que a vida é uma verdade
Prove-me.
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 6 10
Literature
Soneto dos Trovoes
Espadas que pelo fogo afiadas
Rasgam profundamente a escuridão
Correntezas flutuam picotadas
E não se escuta um único trovão
Onde os colocaram? Onde estarão?
Estarão nas secas grutas cavadas
Pela água abandonada em vãos do chão
E que são, pela luz, desabitadas?
Mais um raio e o solo se apavora
Sopra o vento com a rouca garganta
Reverbera um som grave e se agiganta
Faça de tudo para irem embora!
Trovões, água e raios, com seus apelos
Transformam os sonhos em pesadelos!
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 7 18
Literature
Silencio
I – Presente: Ditadura não dita
Os sinos não mais se badalam
Os carros não rangem motor
E todas as vidas se calam
Sufocam os gritos de dor
Silêncio nas ruas ativa
Estado de sítio geral
E não há nenhuma alma viva
Ciente do caos infernal
Refrão:
Um nó passa os pés entre as mãos
Nas cordas vocais os grilhões
E prendem correntes nos vãos
E nessas prisões corações
II – Futuro: Repressão
Tentando não ser escutado
O vento parou de soprar
O medo constrói um reinado
E regras começa a ditar
Aos que seguem uma rotina
Parece que nada mudou
Pois vivem na forte neblina
Que um dia o sistema instalou
Refrão
Um nó passa os pés entre as mãos
Nas cordas vocais os grilhões
E prendem correntes nos vãos
E nessas prisões corações
III – Esperança: A Revolta dos Gritos
E levam pancadas nas costas
Os que se perguntam "por quê?"
Não querem
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 10 15
Literature
Multidown
Fantasmas perdidos
São anjos caídos
As sombras do medo
Sem o seu segredo
Mãos presas com pregos
São animais cegos
Titã castigado
E desfigurado
Na dor, corações
Diversas nações
Camadas da base
Invencíveis quase
Seu pão eles fazem
Jornal eles trazem
O seu café fervem
Na mesa te servem
São tão invisíveis
Não são insensíveis
Só querem viver
Sem tempo perder
São alvos de tudo
Também seu escudo
São velhas crianças
Que tentam mudanças
Perderam as falas
Em gomas e balas
Que vendem na rua
A casa mais nua
São muitos tão poucos
São sãos e são loucos
São todos só um
Ninguém e nenhum
:iconlucas-madi:lucas-madi
:iconlucas-madi:lucas-madi 9 29

Random Favourites

Love by Skategirl Love :iconskategirl:Skategirl 2,089 402 Snow Leopard Girl by blue-sheep Snow Leopard Girl :iconblue-sheep:blue-sheep 133 29
Literature
Umamao
Numa mão vai um mamão,
Umas vezes sim ou não.
Quando pela mão não é,
O mamão vai pelo pé.
:iconAzafTazarden:AzafTazarden
:iconazaftazarden:AzafTazarden 5 29
Global Warming by narm Global Warming :iconnarm:narm 1,655 271 This is not funny by W0LLE This is not funny :iconw0lle:W0LLE 364 25 Can't Fight... by PennyLan3 Can't Fight... :iconpennylan3:PennyLan3 2 0 . submersa em cor . by Esconderijo . submersa em cor . :iconesconderijo:Esconderijo 187 90
Literature
Poeta
Poeta... aquele que o é sem o ser,
que escreve poesia sem o saber...
apenas por necessidade...
Desabafa consigo mesmo,
num caderno de rabiscos,
as tristezas que o assombram...
sentimentos e emoções,
mentiras e ilusões...
de um passado bem presente...
Descreve a vida por palavras,
palavras que recordam momentos,
momentos de uma vida...
Uma vida perturbada,
escondida pela fachada,
de um sorriso alegre...
Uma ilusão disfarçada,
pela força de esquecer,
o que ainda o faz sofrer...
Numa mão uma caneta,
na outra um pensamento...
Acaba o seu poema,
Mas não o seu sofrimento...
:iconOnil:Onil
:icononil:Onil 6 23
After Asphyxiation by JeremiahFrost After Asphyxiation :iconjeremiahfrost:JeremiahFrost 6 9 This Is Not an Apple by Alephunky This Is Not an Apple :iconalephunky:Alephunky 4,423 255 unmasquerade by Okoolarniq unmasquerade :iconokoolarniq:Okoolarniq 664 57
Literature
Ngo Thando
I
Dizem que é bela,
minha poesia.
Já eu, digo que é
apenas teimosia:
tentativa inútil
de abarcar em letras
o que nem a vida,
nem dez vidas,
nem nossos mil beijos
e carícias
podem conter
por completo.
É tentar abarcar
o infinito,
minha poesia.
É produto
de amor,
minha teimosia.
II
Meu Amor, Infinita -
nosso Amor -
esse Amor
que me faz
teimar,
essa teimosia
que me faz
poeta,
essa poesia
que te faz
corar, Donzela,
não são quaisquer.
Não são sonhos,
nem ligeiros;
nunca foram.
São reais,
são eternos;
sempre foram.
Mas nem sempre
encontraram
o repouso
na ternura
do seu seio.
E a falta desse berço,
Princesa,
esse berço que fez
de todas ninguém,
e de você a única,
a falta dele me fez
a alma em ermo,
o verso em pranto,
o canto em grito,
o riso em luto;
me fez em nada
para que a falta da falta
me fizesse em tudo.
III
O que sou sem seu berço?
Um desabrigado, um nômade,
um peregrino constante
cujo s
:iconMarius--Verius:Marius--Verius
:iconmarius--verius:Marius--Verius 1 2

Activity


deviantID

lucas-madi
Lucas Madi
Artist | Professional | Other
Brazil
Interests

Journal History

Comments


Add a Comment:
 
:iconduquess-sabrina1992:
Duquess-Sabrina1992 Featured By Owner May 31, 2014  Hobbyist Traditional Artist
feliz aniversário
Reply
:iconmimsi-on-da:
mimsi-on-dA Featured By Owner Apr 12, 2012   Artisan Crafter
Hello random deviant! :happybounce: how was your day? I hope it was super fine! Not just fine fine but super fine :D
Reply
:iconmilky-the-cat:
Milky-the-Cat Featured By Owner Jan 19, 2012  Hobbyist Traditional Artist
Obrigada pelo Watch e pela Llama! /3
Reply
:iconherculanonovaes:
herculanonovaes Featured By Owner Nov 17, 2011
Olá, seu trabalho foi divulgado em [link]
Abraço! ;)
Reply
:iconlucas-madi:
lucas-madi Featured By Owner Nov 18, 2011  Professional Artist
Obrigado =D
Reply
:iconpiscies:
piscies Featured By Owner Sep 12, 2011  Hobbyist Writer
Cara, citei você aqui [link] no meu blog, espero que não se incomode ^_^
Reply
:iconlucas-madi:
lucas-madi Featured By Owner Sep 18, 2011  Professional Artist
eu to de blog agora, cita o meu blog e não meu deviantart lá: [link]
abraço!
obrigado pela citação!
Reply
Add a Comment: